Dow Jones 0,061% 22.660 pts
S&P 500 -0,261% 2.545 pts
Nasdaq 0,027% 7.424 pts
Ibovespa -0,284% 85.135 pts
Dólar R$ 3,315
Euro R$ 4,040
Veja Mais

Trump pode acabar com política monetária americana de décadas; entenda

Trump pode acabar com política monetária americana de décadas; entenda
(Shutterstock)

Para o SaxoBank, a administração Trump pode buscar ativamente um enfraquecimento do dólar

SÃO PAULO – O banco dinamarquês SaxoBank elaborou relatório em que comenta o cenário da economia mundial no primeiro trimestre de 2017. Para o economista chefe e CIO (Chief Investment Officer) da empresa Steen Jakobsen, a direção do dólar é uma questão chave para esse início de ano.

Ele aponta que o primeiro trimestre do ano trará boas pistas sobre a direção da moeda americana e que a administração Trump tentará seguir um caminho de enfraquecer o dólar. A retórica teria como base um enfraquecimento do yuan chinês. No entanto, essa decisão acabaria com um dogma que existe desde o governo Bill Clinton de que “um dólar forte é do interesse dos EUA”.

Novo cenário
A instituição financeira comenta ainda que 2017 trará uma mudança na forma de encarar o mundo. “Bem-vindo a 2017 e à Trumpmania, um mundo onde tweets pautam a agenda aleatoriamente nos EUA e onde ser heterodoxo é a nova moda”, escreve o SaxoBank.

Além disso, ainda entra na pauta a questão do populismo nos EUA e na Europa, que passará por importantes eleições neste ano. “O mundo não avançará em meio a uma agenda de fronteiras fechadas, anti-globalização e restrições de comércio. Mas essas forças precisam ser respeitadas, especialmente quando vemos uma mudança na liderança na arena global”, pontua a instituição financeira.

O Saxo comenta que o foco de Trump em fechar os EUA para o comércio, militarmente e reverter uma política estabelecida com a China desde os anos 1970 terá consequências no tabuleiro global. “A chanceler alemã Angela Merkel é agora a líder de fato do mundo desenvolvido, uma posição que ela nunca quis e se sente desconfortável durante um ano eleitoral na Alemanha. A China preencherá qualquer vácuo deixado pela mudança de curso dos EUA”.

Dê a sua opinião!

0 0
Foto de perfil de Leonardo Uller
Escrito por
Jornalista econômico vencedor do prêmio Especialistas da revista Negócios da Comunicação no setor Financeiro em 2015. É o editor responsável pelo FinNews. E-mail: leonardo.uller@finnews.com.br

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados *

Você também pode utilizar estas HTML tags e atributos <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Senha perdida

Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.