Dow Jones 0,061% 22.660 pts
S&P 500 -0,261% 2.545 pts
Nasdaq -1,120% 7.713 pts
Ibovespa -0,284% 85.135 pts
Dólar R$ 3,315
Euro R$ 4,040
Veja Mais

Toshiba assume “dúvida substancial” sobre seu futuro após prejuízo histórico

Toshiba assume “dúvida substancial” sobre seu futuro após prejuízo histórico
(Shutterstock)

Companhia se envolveu em enorme confusão desde o fim do ano passado e não consegue sair dessa situação

SÃO PAULO – A situação para o grupo japonês Toshiba (6502.T) parece cada vez mais feia. O conglomerado declarou nesta terça-feira (11) que há “dúvida substancial” sobre sua habilidade de seguir em frente em meio a suas imensas perdas reportadas, aponta o site CNN Money.

Quer aprender a investir no exterior? Confira estes dois módulos grátis e faça seus investimentos

A Toshiba vem sofrendo por conta do colapso de sua subsidiária Westinghouse Electric, empresa americana do setor nuclear que entrou com pedido de falência no último mês. Após perder seus prazos duas vezes, a empresa reportou uma perda líquida de US$ 5,9 bilhões. Os reguladores japoneses precisam decidir agora se aceitam ou não o relatório de resultados da companhia. Se não, as ações da companhia fragilizada podem acabar sendo retiradas da bolsa de Tóquio.

Como se não bastasse, a auditoria PwC se recusa a validar os resultados da empresa, sendo mais um problema, tudo isso enquanto suas ações vivem uma verdadeira montanha-russa no mercado e despencam. Para reparar o prejuízo, a companhia provavelmente deverá ter que vender seu negócio de chips, que é a verdadeira joia da coroa do grupo. No entanto, o governo japonês quer manter essa divisão dentro do país, o que complica ainda mais a situação.

Já a falência da Westinghouse também tem levantado preocupações no país. Para começar, a participação da Toshiba na empresa será vendida sob uma corte de falência e não estará envolvida no negócio. O processo pode levantar preocupações nos EUA, que não querem que instalações domésticas nucleares caiam nas mãos de uma firma chinesa. A Westinghouse já está construindo reatores na China e pode ajudar a nação asiática a se tornar líder mundial no setor.

Dê a sua opinião!

0 0
Foto de perfil de Leonardo Uller
Escrito por
Jornalista econômico vencedor do prêmio Especialistas da revista Negócios da Comunicação no setor Financeiro em 2015. É o editor responsável pelo FinNews. E-mail: leonardo.uller@finnews.com.br

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados *

Você também pode utilizar estas HTML tags e atributos <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Senha perdida

Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.