Dow Jones 0,061% 22.660 pts
S&P 500 -0,261% 2.545 pts
Nasdaq -0,072% 7.854 pts
Ibovespa -0,284% 85.135 pts
Dólar R$ 3,315
Euro R$ 4,040
Veja Mais

Theresa May enviou seus dois assessores mais próximos para Washington

Theresa May enviou seus dois assessores mais próximos para Washington
(Shutterstock)

A ideia da líder do Reino Unido é estreitar as relações entre seu governo e o de Donald Trump

SÃO PAULO – A primeira-ministra britânica Theresa May enviou seus dois assistentes mais importantes para os EUA para construir pontes com a administração Trump, aponta a mídia. Os chefes de gabinete da governante Fiona Hill e Nick Timothy foram para o país no meio de dezembro e o governo confirmou a informação. O escritório de May declarou: “A primeira-ministra sugeriu que seria uma boa ideia que membros chave de ambas as equipes se encontrasse. O presidente eleito Trump concordou que isso seria útil”.

Theresa May acredita que forjar uma relação forte com o governo Trump é algo vital, principalmente quando se leva em conta os planos do Reino Unido de sair da União Europeia e sua necessidade de construir novos acordos de negócios com outras nações pelo mundo.

Histórico complicado
No entanto, a relação entre Trump e May não começou bem. O presidente eleito dos EUA mostrou muito mais interesse em conversar com o líder nacionalista local Nigel Farage e ainda declarou publicamente em seu Twitter, ignorando qualquer tipo de tradição diplomática, que gostaria que o político britânico fosse embaixador da nação em Washington. May rapidamente respondeu que o cargo não estava vago uma vez que o posto estava muito bem ocupado.

Adicionalmente, quando os dois conversaram por telefone, Trump soltou uma frase bastante peculiar, afirmando quando ela deveria “avisá-lo” quando viajasse para os EUA. Uma visita de estado geralmente é um processo que envolve meses de conversas entre diplomatas e secretários de ambos os países, o que fez com que a frase soasse totalmente sem contexto.

Os dois secretários de May que foram enviados aos EUA já criticaram publicamente Donald Trump antes que qualquer um dos dois conseguisse alcançar a liderança em seus respectivos países. Para se encontrar com os assessores da governante britânica, o republicano enviou seu genro Jared Kushner, seu estrategista chefe Steve Bannon e o general aposentado Michael Flynn. Além disso, Londres anunciou que a primeira-ministra viajará aos EUA ainda na primavera (do Hemisfério Norte) para se encontrar com o novo presidente do país.

Dê a sua opinião!

2 0
Foto de perfil de Leonardo Uller
Escrito por
Jornalista econômico vencedor do prêmio Especialistas da revista Negócios da Comunicação no setor Financeiro em 2015. É o editor responsável pelo FinNews. E-mail: leonardo.uller@finnews.com.br

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados *

Você também pode utilizar estas HTML tags e atributos <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Senha perdida

Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.