Dow Jones 0,061% 22.660 pts
S&P 500 -0,261% 2.545 pts
Nasdaq -0,558% 7.379 pts
Ibovespa -0,284% 85.135 pts
Dólar R$ 3,315
Euro R$ 4,040
Veja Mais

Quem investiu na Amazon em seu IPO em 1997 teve um retorno de 56.821%

Quem investiu na Amazon em seu IPO em 1997 teve um retorno de 56.821%
(Shutterstock)

Empresa se tornou uma verdadeira gigante do mercado de e-commerce nas últimas duas décadas

SÃO PAULO – Poucas ações superaram a Amazon (AMZN.OQ) desde que ela lançou seus papéis na Nasdaq. A gigante do e-commerce é, hoje, a quinta maior empresa do S&P 500 por valor de mercado, em cerca de US$ 404 bilhões, mas ela nem sempre foi uma gigante que vendia os mais variados tipos de produtos, aponta o site Motley Fool.

Na época de seu IPO (Initial Public Offering), em 1997, a Amazon era, basicamente, uma livraria online. Ela vendeu suas ações a US$ 18 para levantar US$ 54 milhões, sendo valorizada a US$ 438 milhões. Hoje em dia, levando em conta seu fluxo de caixa livre, a empresa precisa de apenas dois dias para levantar esse dinheiro.

Se você tivesse comprado US$ 2 mil em ações da empresa em seu IPO e mantivesse esse capital pelos últimos 20 anos, neste momento teria um patrimônio de US$ 1,136 milhão, totalizando um retorno de 56.821% ou 37% ao ano. Mesmo se você comprou as ações apenas quatro meses depois, ainda veria uma rentabilidade de cerca de metade disto.

Qualquer um que conseguiu embolsar esse lucro todo provavelmente tinha muita convicção na empresa. Suas ações caíram 6% em um único dia 199 pregões diferentes, enquanto seu preço recuou 15% em três dias em 107 ocasiões. Se você comprou no IPO, provavelmente viu os papéis despencaram após a bolha pontocom e viu o papel perder metade de seu valor em três ocasiões, uma em 1999, uma entre 2003 e 2006 e uma do final de 2007 ao final de 2008. Com isso, qualquer um que se manteve firme mesmo com tanta turbulência merece os fenomenais retornos alcançados.

Assim, a questão não é tanto em procurar a próxima Amazon, mas sim em como se manter comprado quando você achar que encontrou uma. O conselho é olhar para a empresa e não para a ação, vendo seu negócio, sua execução e seus fundamentos, além de estar sempre atento para a principal tese de investimentos.

Dê a sua opinião!

1 0
Foto de perfil de Leonardo Uller
Escrito por
Jornalista econômico vencedor do prêmio Especialistas da revista Negócios da Comunicação no setor Financeiro em 2015. É o editor responsável pelo FinNews. E-mail: leonardo.uller@finnews.com.br

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados *

Você também pode utilizar estas HTML tags e atributos <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Senha perdida

Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.