Dow Jones 0,061% 22.660 pts
S&P 500 -0,261% 2.545 pts
Nasdaq -0,807% 6.588 pts
Ibovespa -0,929% 75.688 pts
Dólar R$ 3,238
Euro R$ 3,808
Veja Mais

Noticiário da semana é dominado por turbulências políticas no Brasil; saiba mais

Noticiário da semana é dominado por turbulências políticas no Brasil; saiba mais
(Shutterstock)

No exterior, as eleições na Alemanha também chamaram atenção dos principais investidores internacionais

SÃO PAULO – Essa semana teve, mais uma vez, noticiário político bastante turbulento no Brasil, enquanto, no exterior, o foco ficou muito com as eleições na Alemanha e decisões de Donald Trump. Confira, a seguir, as principais notícias resumidas pelo FinNews em parceria com a Portofino Investimentos.

Quer aprender a investir no exterior? Confira estes dois módulos grátis e faça seus investimentos

Noticiário político brasileiro volta a seu ritmo turbulento
O noticiário brasileiro voltou a seu ritmo turbulento nessa semana, começando com a chegada de mais uma denúncia da Procuradoria Geral da República contra o presidente Michel Temer. A expectativa é, no entanto, que o processo não seja aberto pelo Congresso, com Planalto mostrando mais musculatura do que na primeira denúncia. O relator escolhido para o processo é, inclusive, o deputado Bonifácio Andrada (PSDB-MG), abertamente favorável ao governo.

Adicionalmente, ainda no começo da semana, o presidente da Câmara Rodrigo Maia declarou que, hoje, não há votos nem para conseguir que a metade do Congresso seja a favor da reforma da previdência em eventual votação, notícia que desanimou os mercados. Além disso, o senador tucano Aécio Neves (PSDB-MG) foi afastado de seu cargo pelo STF (Supremo Tribunal Federal). A decisão, no entanto, ainda está sob discussão e pode ser revertida pela casa legislativa.

Leilão de hidrelétricas promovido pelo governo rende R$ 12,13 bilhões
Na última quarta-feira, o governo federal conseguiu arrecadar pouco mais de R$ 12 bilhões com leilão de quatro hidrelétricas, em um valor 9,73% acima do esperado pelo governo, que era de R$ 11 bilhões. As quatro usinas que foram vendidas, de Jaguara, São Simão, Miranda e Volta Grande, são operadas, hoje, pela Cemig, e contam com uma capacidade total de gerar 2,9 mil MegaWatts de energia. Esse dinheiro será usado para o governo de forma a bater a meta fiscal desse ano, que é de déficit de R$ 159 bilhões, sendo que é apenas o início de um amplo programa de privatizações e concessões previsto pela administração Temer.

PIB dos EUA é revisado para cima mais uma vez e fica acima de meta estabelecida por Trump
A revisão final do PIB (Produto Interno Bruto) dos EUA referente ao segundo trimestre desse ano trouxe boas notícias para a Casa Branca. O avanço anualizado da maior economia dos EUA foi revisado para cima mais uma vez e, agora, o resultado consolidado é de uma alta de 3,1%, percentual acima da meta do presidente Donald Trump de 3%.

Entre os principais destaques, o consumo foi o melhor item para ajudar a puxar essa alta. Para o terceiro trimestre é esperado um recuo no ritmo de avanço econômico, no entanto, principalmente por conta das passagens dos furacões Harvey e Irma pelo território americano.

Ainda no noticiário americano, chamou atenção o plano de corte de taxas do governo, que finalmente foi divulgado. O mercado, no entanto, não pareceu animado com essa divulgação e segue duvidando da articulação política do presidente Trump, que ainda não conseguiu vitórias relevantes, mesmo tendo maioria nas duas casas legislativas.

Merkel vence eleições na Alemanha, mas sai derrotada
Pode parecer contraditório, mas foi exatamente isso que aconteceu no pleito realizado na maior economia da Europa. Como era esperado, a chanceler Angela Merkel foi reconduzida ao seu quarto mandato como comandante do país que, hoje, é um dos que se posiciona com mais força no cenário político ocidental como principal fiador do Euro e da União Europeia. Sua coalizão de centro-direita teve a menor votação desde 1949, sendo que o partido de ultradireita AfD conseguiu assentos no Parlamento alemão pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial. Com isso, mesmo que tenha saído vitoriosa mais uma vez, Merkel sai também enfraquecida em um tabuleiro político internacional em que já se encontra isolada, uma vez que as relações com o Reino Unido, Rússia e EUA vêm se deteriorando nos últimos tempos.

Dê a sua opinião!

0 0
Foto de perfil de Leonardo Uller
Escrito por
Jornalista econômico vencedor do prêmio Especialistas da revista Negócios da Comunicação no setor Financeiro em 2015. É o editor responsável pelo FinNews. E-mail: leonardo.uller@finnews.com.br

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados *

Você também pode utilizar estas HTML tags e atributos <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Senha perdida

Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.