Dow Jones 0,061% 22.660 pts
S&P 500 -0,261% 2.545 pts
Nasdaq 1,236% 7.426 pts
Ibovespa -0,284% 85.135 pts
Dólar R$ 3,315
Euro R$ 4,040
Veja Mais

Acusações de equipe de Trump dificultam relações entre EUA e Reino Unido

Acusações de equipe de Trump dificultam relações entre EUA e Reino Unido
(Shutetrstock)

Secretário do presidente fez acusação à inteligência britânica usando comentarista de televisão como fonte

SÃO PAULO – As acusações não-provadas feitas por Donald Trump de ter sido grampeado durante a eleição no ano passado pela equipe de Barack Obama levaram a muito mais do que investigações internas em vários órgãos federais. Elas também ameaçam detonar a relação dos EUA com seu mais próximo aliado, o Reino Unido. O secretário de imprensa da Casa Branca Sean Spicer leu relatórios não verificados na sala de imprensa do local que declaravam que a GCHQ (Governement Communications Headquarters), agência de inteligência britânica, conspirou com Obama para grampear Trump.

Spicer mencionou a agência em uma tentativa de defender Trump após ele fazer suas acusações explosivas há semanas em seu Twitter, sendo que até agora nenhuma evidência apareceu para suportar a acusação. “Na Fox News, no dia 14 de março, o juiz Andrew Napolitano fez a seguinte declaração: “três fontes de inteligência informaram a Fox News que o presidente Obama saiu da cadeia de comando – ele não usou a NSA, não usou a CIA, não usou o FBI e não usou o departamento de justiça – ele usou a GCHG”, declarou Spicer.

O comentário levou a uma reação praticamente imediata da agência, que liberou uma rara declaração pública negando qualquer envolvimento e afirmando que a acusação era “completamente ridícula” e que deveria ser “ignorada”. Especialistas no assunto declaram que a inteligência britânica conta com um histórico de não fazer qualquer tipo de declaração pública, mesmo que para rechaçar acusações de coisas que não fez e, assim, chama bastante atenção ela veementemente rejeitar as declarações do secretário de imprensa americano.

A agência de notícias Bloomberg reporta que houve um forte fluxo de contato entre os governos do Reino Unido e dos EUA após o comentário do secretário americano e Spicer se desculpou e prometeu não repetir a acusação. No entanto, a relação dos dois países pode ficar balançada depois do episódio.

Dê a sua opinião!

2 0
Foto de perfil de Leonardo Uller
Escrito por
Jornalista econômico vencedor do prêmio Especialistas da revista Negócios da Comunicação no setor Financeiro em 2015. É o editor responsável pelo FinNews. E-mail: leonardo.uller@finnews.com.br

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados *

Você também pode utilizar estas HTML tags e atributos <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Senha perdida

Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.