Dow Jones 0,061% 22.660 pts
S&P 500 -0,261% 2.545 pts
Nasdaq -0,072% 7.854 pts
Ibovespa -0,284% 85.135 pts
Dólar R$ 3,315
Euro R$ 4,040
Veja Mais

4 motivos para acreditar em mais altas para a HP em 2017

4 motivos para acreditar em mais altas para a HP em 2017

A empresa segue dominando cada vez mais o mercado que atua enquanto paga bons dividendos

SÃO PAULO – Após as ações da HP terem se valorizado cerca de 30% no último ano, alguns investidores podem pensar que seu upside para 2017 será fraco. Adicionalmente, o consenso estima um preço-alvo também bastante limitado para o papel. Mesmo assim, o colunista do site Motley Fool Tim Brugger aponta quatro bons motivos para comprar os papéis da companhia.

1 – Dominando o mercado
Enquanto os dados trimestrais do setor de computadores indicam quedas sucessivas, as vendas da HP seguem cada vez mais fortes. Ano passado, as vendas de PC da empresa geraram receita de US$ 8 bilhões, alta de 4% em relação a 2015. O grande destaque ficou com as vendas de notebooks e, assim, a companhia tem conseguido tirar distância em relação à Lenovo, que ainda é líder no mercado.

2 – Bom e barato
Após o excelente desempenho da empresa em 2016, seria lógico assumir que a ação já está precificada. Mas, para o colunista, esse não é o caso. Com uma relação de P/L (Preço sobre Lucro) em cerca de dez vezes, o papel é um dos mais baratos no setor de tecnologia. Como se não bastasse, a HP ainda cortou US$ 3 bilhões em despesas no último ano fiscal.

3 – E as impressoras?
A unidade de impressoras da empresa recuou 8% no último trimestre, isso na sequência de uma série de más notícias ao longo de 2016. Contudo, a HP tem trabalhado para resolver o problema. Ela fez um acordo por US$ 1,05 bilhão pelo setor de impressão da Samsung e assim terá à disposição mais de 6,5 mil patentes entre vários outros benefícios. Sem falar no fato de que a impressão 3D é um setor que deve crescer muito nos próximos anos.

4- Dividendos
Além disso, a empresa ainda paga excelentes dividendos, com um yield na casa de 3,5% e conta com um caixa de US$ 6,29 bilhões e em uma longa história de pagamento de proventos aos acionistas. Tudo isso significa que a distribuição deve seguir protegida nos próximos anos.

Dê a sua opinião!

1 0
Foto de perfil de Leonardo Uller
Escrito por
Jornalista econômico vencedor do prêmio Especialistas da revista Negócios da Comunicação no setor Financeiro em 2015. É o editor responsável pelo FinNews. E-mail: leonardo.uller@finnews.com.br

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados *

Você também pode utilizar estas HTML tags e atributos <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Senha perdida

Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.